Um grupo de policiais invadiu e expulsou moradores de suas casas no Complexo do Alemão
para montar "bases provisórias". O grupo não tem mandado ou qualquer autorização para isso,
mas mesmo assim continua lá, impedindo que essas pessoas voltem para suas residências.
Vamos pressionar o Comandante Geral da PM, coronel Wolney Dias, para que ele intervenha
imediatamente e os direitos dos moradores sejam respeitados!




Envie seu email ao Comandante Geral da PM

Quem você vai pressionar

Coronel Wolney Diascmtgeral@pmerj.rj.gov.br

1734pessoas querem que os moradores do Alemão sejam respeitados

Imagina só: após um longo dia de trabalho, você chega em casa cansado e descobre que ela foi invadida por pessoas desconhecidas. Você não pode entrar e corre para denunciar o crime. Só que no meio do caminho, descobre o pior: quem está cometendo o crime é um grupo da própria Polícia Militar. É exatamente isso que está acontecendo no Complexo do Alemão.
No dia 14 de fevereiro, o Defezap mostrou ao vivo que policiais da UPP Nova Brasília, sob comando do Major Leonardo Zuma, invadiram e montaram "bases provisórias" nas casas de moradores, sem qualquer autorização, mandado ou respeito à lei. O Major Zuma, responsável pela operação, alega que as casas estavam abandonadas, mas, em visita ao local, a ouvidoria da Defensoria Pública, a Comissão de Direitos Humanos da Alerj e a OAB comprovaram que as invasões foram feitas ilegalmente, desmentindo a versão da PM. O caso seria absurdo e inaceitável em qualquer lugar da cidade, mas esse grupo de policiais continua agindo contra a lei sem ser incomodado.
A autoridade capaz de intervir para que os policiais saiam das casas é o Comandante Geral da PMERJ, Coronel Wolney Dias. Ele já sabe do ocorrido, mas como a repercussão do caso ainda é pequena, ele está numa posição confortável e preferiu fingir que não está vendo.
É por isso que precisamos nos mobilizar e criar uma onda de pressão no Coronel Wolney: se ele receber milhares de mensagens de cidadãos e cidadãs cariocas indignados com o que está acontecendo no Alemão, ele se sentirá obrigado a intervir imediatamente.

entenda o caso
1.
Pelo menos cinco casas da Alvorada, no Complexo do Alemão, foram invadidas por um grupo de policiais militares e estão sendo utilizadas como bases provisórias da UPP Nova Brasília. Enquanto isso, os moradores estão impedidos de voltar para suas residências.
2.
A UPP, que já está há quase cinco anos no Alemão, está construindo uma base definitiva próxima a esses domicílios. Mas enquanto a obra não fica pronta, eles invadiram as casas.





3.
A violência no Complexo do Alemão vem se agravando muito no último ano. A comunidade enfrenta tiroteios quase diários: só em fevereiro, foram quatro vítimas fatais e dez feridos por armas de fogo. Situação inadmissível, ainda mais para uma comunidade “pacificada”.
4.





Por que o Meu Rio entrou nessa?

Além das inúmeras violações aos Direitos Humanos que os moradores de favelas do Rio de Janeiro já sofrem cotidianamente, é inadmissível que eles não possam ter o mínimo assegurado: o direito de voltar para casa. O Meu Rio defende uma cidade onde o direito de ir e vir e o direito à moradia são respeitados pelo estado.




Conheça o DefeZAP:
DefeZap é um sistema de defesa cidadã contra a violência de Estado. Através do WhatsApp (21) 99670-1400, é possível denunciar violações cometidas por policiais, guardas municipais e outros agentes públicos na região metropolitana do Rio de Janeiro. O caso é analisado e pode virar um processo oficial. Tudo isso com sigilo garantido!